quarta-feira, 20 de abril de 2011

Monumental Serenata da Queima das Fitas do Porto

"Por mim, este ano voltava a estar no cordão", disseram-me agora. Eu também voltava e, ou muito me engano, ou voltávamos todos. As saudades de ser caloira são imensas e este ano quando estiver a assistir a Serenata como Doutora tenho a certeza que muitas lágrimas vão escorrer pela minha cara abaixo. E de uma coisa eu tenho a certeza: a maior parte delas vão ter como explicação as saudades do mesmo dia, do mesmo local, da mesma situação mas de "exactamente há um ano atrás". Não é só conversa quando dizemos que o ano de caloiro é único. É pena que nós, quando somos caloiros, muitas das vezes não saibamos aproveitar todos os momentos.

Mas, como já diz a velha máxima: UMA VEZ CALOIRA, SEMPRE CALOIRA.




E que venha o dia 1 de Maio.

4 comentários:

Ana disse...

Eu acho que sou a única pessoa que gostou mais do 2º ano e seguintes do que do ano de caloira. Talvez por o meu grupo de amigos ter mudado, ou por outra qualquer razao, os meus anos como doutora estão a ser muito mais épicos do que o meu ano de caloira xD

L. disse...

Ano de caloiro é ano de caloiro, Ana! tenho mesmo saudades! :D

Ana disse...

Depende de muita coisa, eu o ano que tenho mais saudades é do 2º ano. E este ainda não acabou mas também sei que vai deixar muitas.

O que faz o ano ser memorável ou não, são as pessoas e os momentos com quem os passamos.

L. disse...

exactamente por serem as pessoas e os momentos que passamos com elas é que continuo a dizer que o ano de caloira foi bem melhor! :)