terça-feira, 31 de agosto de 2010

promessas.

Imagem
Confio demasiado nas promessas. Nas promessas e nas pessoas que as fazem. Suponho, desde o início, que são para se cumprir. Que a outra pessoa vai agir da mesma maneira que eu. Ou pelo menos, que vai remar para o mesmo lado que eu. Porque uma promessa só pode ser cumprida se as pessoas envolvidas lutarem do mesmo lado. E não uma contra a outra. E eu sou (SEMPRE) suficientemente ingénua para acreditar que vai acontecer tudo como eu gostava que acontecesse. E, na realidade, (quase) nunca acontece.
E depois? Depois vem a desilusão.

4 comentários:

SofiaCosta disse...

aqui esta ele :)

inflismente muita das vezes vem a desilusao.

@carolecarol disse...

Ai a desilusão...

Hapi disse...

Apesar das desilusões eu acho que nunca devemos fechar o nosso coração a nossas promessas, apenas aprender com os erros.

Obrigada, foi dos comentários mais queridos que já tive até hoje :$

Maxwel Quintão disse...

a desilusão deve ser das sensações mais tramadas que há!
obrigado pelos comentários!